Regulamento Oficial de Águas Abertas - FAP

 

CAPITULO I – DAS FINALIDADES E REGULAMENTO

 

Art. 1º O regulamento das provas de Águas Abertas no Campeonato Paulista seguirá as normas emanadas pela da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), Federação Internacional de Natação (FINA) e o regulamento geral de competições da Federação Aquática Paulista (FAP).

 

Art. 2º Este Campeonato é destinado às entidades filiadas ou vinculadas à FAP, de acordo com a Instrução Normativa nº 01/07.

 

CAPITULO II – DA ORGANIZAÇÃO E EXECUÇÃO DAS PROVAS

 

Art. 3º A FAP firmou contrato com a empresa PRESENÇA EVENTOS que ficará responsável pela organização, cobertura técnica, segurança, execução, premiação, arbitragem, elaboração

do regulamento específico e homologação dos resultados das provas, podendo estabelecer

parcerias quanto à infra-estrutura, logística e materiais necessários a realização destas.

 

CAPITULO III - DAS DISTÂNCIAS E FORMAS DE DISPUTA

 

Art. 4º As provas de Águas Abertas deste Campeonato são classificadas em:

 

Provas longas: entre 4 km a 10 km

Provas médias: entre 2 km a 4 km

Provas curtas: entre 600 metros a 1.200 m

 

§ único A classificação de cada prova será efetuada de maneira específica.

 

Art. 5º O Campeonato Paulista na temporada de 2012 será disputado em um mínimo de 05 etapas e máximo de 06 etapas.

 

§ único A definição da realização e as “Informações Gerais das Etapas” deverá ocorrer em até 30 dias antes de sua realização.

 

Art. 6º A forma de disputa das provas permitirá que os percursos sejam cumpridos em sentido

único do ponto de largada ao de chegada, como também, na forma de contorno, utilizando

bóias e (ou) embarcações para cumprimento da distância e do percurso.

 

§ 1º O Árbitro Geral definirá um tempo limite para classificação e duração das provas no

Congresso Técnico de cada etapa.

 

§ 2º Somente serão permitidas no perímetro da prova embarcações da arbitragem ou

devidamente autorizadas pelo Árbitro Geral.

 

CAPITULO IV - DAS INSCRIÇÕES

 

Art. 7º Somente poderão participar atletas devidamente regularizados na FAP, respeitando os

prazos divulgados no O.P. n° 087/06, O.P. n°093/07 e O.P. n°06/10.

 

Art. 8º As inscrições ser encaminhadas por e-mail presencaeventos@gmail.com de acordo com planilha disponível no site da FAP.

 

Art. 9º Não serão aceitas inscrições sem pagamento efetuado dentro do prazo estabelecido.

Art. 10º Não serão aceitas, em hipótese alguma, inscrições com dados incompletos, encaminhadas fora do prazo estabelecido, como também, em caso da entidade filiada ou vinculada à FAP, apresentar débito junto a esta.

 

Art. 11º Não será permitida a composição entre entidades que desenvolvam a prática da

modalidade de águas abertas ou natação.

 

§ único Tanto a entidade participante quanto o atleta poderão apresentar seus patrocinadores,

desde que esses não desenvolvam a prática da modalidade de águas abertas ou natação.

 

Art. 12º Será permitido a participação, em caráter excepcional, de atletas e entidades sem vínculo com a FAP, considerados como "EXTRA".

 

§ 1º A inscrição dos atletas "EXTRA" deverá ser efetuada utilizando os procedimentos legais

adotados aos demais, observando todos os prazos, custos e exigências legais (atestado

médico) devem ser atendidos, sob pena de a inscrição ser rejeitada.

 

§ 2º Os atletas "EXTRAS" e as entidades que representam não têm direito à premiação final

bem como não contará pontos, independentemente do número de etapas que participou. No

entanto, os atletas “EXTRAS” recebem a premiação de participação além dos demais

produtos e insumos que compõem os kits de inscrição e/ou participação com sua classificação publicada e tão somente no dia da prova.

 

§ único A critério da Organização, seguindo os procedimentos publicados nas INFORMAÇÕES DAS ETAPAS o atleta “EXTRA” poderá compor (dividindo) o pódium conforme a classificação obtida sem, contudo, alterar a classificação dos atletas devidamente inscritos conforme apresentado nos Artigos 2º e 7º do presente Regulamento.

 

Art. 13º A FAP, através da Diretoria de Águas Abertas, reserva-se ao direito do parecer final da

aceitação ou não das inscrições recebidas.

 

CAPITULO V - DAS CATEGORIAS

 

Art. 14º O critério de enquadramento nas faixas etárias por categoria, seguirá os procedimentos adotados pela CBDA e Associação Brasileira Masters de Natação (ABMN).

 

Categorias Ano de Nascimento Idade

MIRIM 2002 e 2003 9 e 10 anos

PETIZ I 2001 11 anos

PETIZ II 2000 12 anos

INFANTIL I 1999 13 anos

INFANTIL II 1998 14 anos

JUVENIL I 1997 15 anos

JUVENIL II 1996 16 anos

JÚNIOR I 1995 17 anos

JÚNIOR II 1994 e 1993 18 e 19 anos

SÊNIOR 1992 a 1988 20 a 24 anos

MASTER A 1987 a 1983 25 a 29 anos

MASTER B 1982 a 1978 30 a 34 anos

MASTER C 1977 a 1973 35 a 39 anos

MASTER D 1972 a 1968 40 a 44 anos

MASTER E 1967 a 1963 45 a 49 anos

MASTER F 1962 a 1958 50 a 54 anos

MASTER G 1957 a 1953 55 a 59 anos

MASTER H 1952 a 1948 60 a 64 anos

MASTER I 1947 a 1943 65 a 69 anos

MASTER J 1942 a 1938 70 a 74 anos

MASTER K 1937 a 1933 75 a 79 anos

MASTER L 1932 a 1928 80 a 84 anos

PPNE 2002 a 1927 9 a 84 anos

 

CAPITULO VI - DAS PARTICIPAÇÕES

Art. 15º Os atletas serão identificados através de um número que será aplicado conforme orientação no próprio dia da prova ou através de recursos eletrônicos.

 

Art. 16º As participações obedecerão o seguinte quadro:

 

Categorias Participação é permitida...

 

MIRIM, PETIZ I e II Apenas prova curta

INFANTIL I e II Prova curta ou média (apenas uma delas)

JUVENIL I a MASTER F Prova curta, média e longa (até duas delas)

MASTER G a MASTER I Prova curta ou média (apenas uma delas)

MASTER J a MASTER L Apenas prova curta

PPNE Apenas prova curta

 

§ 1º Nas categorias que podem participar em até duas provas, uma delas obrigatoriamente deve ser a prova curta.

 

§ 2º A opção inicial do atleta pelas distâncias será permanente até o término do Campeonato.

§ 3º Os atletas considerados "EXTRAS" somente poderão participar de uma única prova,

independente de sua categoria.

 

Art. 17º Na categoria PPNE somente poderão participar os atletas que tiverem a classificação

funcional reconhecida pelo Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB).

 

§ 1º O atleta ou entidade deve apresentar documento atestando sua classificação funcional no

congresso técnico de cada etapa que participar.

 

§ 2º A categoria PPNE será considerada participativa, não havendo classificação e premiação

específica durante as etapas e ao final do Campeonato.

 

Art. 18º A idade mínima para participar das provas curtas será de 08 anos.

 

CAPITULO VII - DA PONTUAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO

 

Art. 19º A classificação individual e coletiva será efetuada separadamente por cada prova realizada na etapa, separando feminino e masculino, conforme categorias do Capítulo V, além de

uma classificação geral individual.

 

Art. 20º A contagem de pontos será individual e por equipes.

 

Art. 21º O critério para apurar a classificação durante a chegada das provas será determinado pelos juízes de chegada, e será apresentado durante o congresso técnico pelo Árbitro Geral.

 

Art. 22º Para a contagem de pontos e classificação individual será adotado o critério único de

pontuação para as 03 provas realizadas em cada etapa, assim distribuídas:

 

Colocação Pontos

 

1º lugar 20 pontos

2º lugar 17 pontos

3º lugar 15 pontos

4º lugar 13 pontos

5º lugar 12 pontos

6º lugar 11 pontos

7º lugar 10 pontos

8º lugar 09 pontos

9º lugar 08 pontos

10º lugar 07 pontos

11º lugar 06 pontos

12º lugar 05 pontos

13º lugar 04 pontos

14º lugar 03 pontos

15º lugar 02 pontos

16º lugar 01 ponto

 

§ 1º Os pontos conquistados na etapa por cada atleta serão transferidos para a classificação

final do Campeonato.

§ 2º Não haverá descarte de resultados ou de prova não disputada/participada.

 

§ 3º O atleta que participar de todas as etapas do Campeonato, completando as provas sem

nenhuma penalização, conquistará para si 08 pontos de bonificação na pontuação final.

 

§ 4º Para a contagem de pontos e classificação por equipes será adotado o critério único de

pontuação para as 03 provas realizadas em cada etapa, mediante transferência dos pontos

conquistados pelos atletas que representam cada equipe.

 

§ 5º Se, por motivo de segurança, a prova for interrompida mesmo após a conclusão de

determinados atletas, os demais serão classificados conforme a posição que se

encontravam no momento da interrupção.

 

Art. 23º Para a contagem de pontos por equipes serão considerados a soma dos pontos obtidos pelos atletas na classificação por categoria de cada prova na etapa realizada.

 

Art. 24º Para a classificação e premiação final, o atleta deverá ter participado de no mínimo quatro etapas do Campeonato.

 

Art. 25º Em caso de empate na classificação individual e coletiva será observado o seguinte critério

de desempate: 1º - confronto direto entre ambos; 2º - maior numero de participações no

campeonato; 3º - vencedor da última etapa entre ambos.

 

CAPITULO VIII - DOS PRÊMIOS:

 

Art. 26º Todo atleta ao completar a prova receberá uma medalha de participação.

 

Art. 27º A premiação seguirá a tabela abaixo, ficando a critério das cidades sedes  estabelecerem os modelos de prêmios ofertados, cabendo a Organização avalizá-los:

 

Situação Quem será premiado

 

Premiação individual em cada etapa.

Os 03 primeiros classificados por categoria, feminino e masculino

em cada prova.

Os 05 primeiros classificados no geral, feminino e masculino, em

cada prova.

Premiação coletiva

em cada etapa

Ao campeão geral de cada prova.

Aos 03 primeiros classificados na soma de pontos das 03 provas

em disputa.

Premiação individual

do Campeonato

Aos 05 primeiros classificados por categoria, feminino e masculino

de cada prova.

Aos 05 primeiros classificados no geral, feminino e masculino de

cada prova.

Premiação coletiva

do Campeonato

Aos 03 primeiros classificados na soma de pontos de cada prova.

Aos 05 primeiros classificados na soma de pontos das 03 provas

em disputa.

§ único Nas premiações individual e coletiva do Campeonato será observado o artigo 23º

 

Art. 28º Será obrigatória a presença do atleta devidamente uniformizado ou a equipe premiada

durante a solenidade de entrega dos prêmios ou de pelo menos um representante,

perdendo-se o direito a estes na ausência.

 

CAPITULO IX - DAS AUTORIDADES E SUAS COMPETÊNCIAS

 

Art. 29º As autoridades constituídas para desenvolvimento do campeonato no quesito técnico são:

a) Árbitro Geral;

b) Diretor da Modalidade;

c) Árbitros;

d) Organização.

 

Art. 30º O Árbitro Geral atuará em todas as questões técnicas e disciplinares das provas, fazendo cumprir as normas vigentes da modalidade e distribuindo funções aos demais árbitros,

apurando questões formuladas e apresentadas por estes. Dependendo de consulta aos

órgãos de segurança presentes, poderá determinar a alteração da metragem e/ou percurso

das provas, e até mesmo o cancelamento delas. Poderá, se assim julgar necessário,

constituir um Conselho Técnico ou Disciplinar a fim de deliberar sobre os casos omissos no

regulamento.

 

Art. 31º Ao diretor da modalidade caberá acompanhar o desenvolvimento das provas, oferecendo respaldo as decisões do Árbitro Geral e encaminhar posteriormente os relatórios

provenientes do Árbitro Geral para deliberação da FAP.

 

Art. 32º Os árbitros designados pelo Árbitro Geral em suas funções deverão seguir as orientações deste, tendo como preceito básico, atender as normas e regimentos provenientes dosórgãos mantedores da modalidade.

 

CAPITULO VI - DAS SANÇÕES

 

Art. 33º Serão passíveis de desclassificação, penalização ou suspensão:

 

a) Atletas que provocarem a dificuldade na sua identificação;

b) Atletas que não cumpram atos técnicos e disciplinares vigentes na FAP, CBDA, FINA e

demais órgãos normativos.

c) Desacato e ofensas aos árbitros e membros da organização por parte de atletas,

dirigentes e quaisquer outros membros de uma delegação.

d) O atleta que participar das provas fora de sua categoria correta, excetuando-se as

situações previstas neste regulamento.

 

Art. 34º Todo e qualquer participante que necessitar de acompanhamento, o responsável técnico desse participante deverá fazer um comunicado prévio junto à arbitragem, a fim de avaliar e deliberar os critérios dessa participação com acompanhamento.

 

Art. 35º A categoria PPNE poderá utilizar o acompanhamento em todas as etapas, conforme as normativas da modalidade e uma avaliação do Árbitro Geral na data e circunstâncias no dia

da prova.

 

CAPITULO X - DOS RECURSOS:

 

Art. 36º Como instrumento das decisões que porventura provoquem interpretações divergentes

entre as decisões e procedimentos da arbitragem, os participantes e equipes representadas

terão direito ao recurso.

 

Art. 37º Os recursos deverão ser apresentados pelo responsável da equipe participante por escrito ao Árbitro Geral.

 

Art. 38º O prazo para apresentação do recurso será de até 30 minutos após o término da prova.

 

Art. 39º O recurso será apreciado e deliberado pelo Árbitro Geral. Caso este indefira o recurso, o pleiteante poderá ainda apresentar esse recurso ao Diretor da Modalidade, que poderá ou

não convocar uma reunião para uma futura deliberação da FAP. Nesse caso, deverá ser

efetuado o pagamento de cinco vezes o valor da taxa de inscrição vigente no período, valor

este que será devolvido caso o protesto seja deferido.

 

CAPÍTULO IX - DAS DESPESAS

 

Art. 40º As despesas de transporte, hospedagem e alimentação serão de exclusiva responsabilidade

das entidades e atletas participantes.

 

CAPÍTULO X - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

 

Art. 41º Revogam-se as disposições em contrário.

 

Nota: As datas e locais acima passaram por um parecer das cidades sedes e (ou) órgãos apoiadores/parceiros do campeonato. Mediante comunicado destes pelo impedimento da realização, a Organização poderá alterar data e local.

Levamos em consideração as datas marcadas para o exame do ENEM e Eleições Municipais (1º e 2º turnos

 

Deixe seu comentário

Comentários:

Leia também:

x